Defensoria Pública participa do I Encontro Nacional de Homens Trans e do Lançamento da 17ª Parada LGBT

2 de agosto de 2018

Defensoria Pública participa do I Encontro Nacional de Homens Trans e do Lançamento da 17ª Parada LGBT

 

O defensor público e diretor do Núcleo de Direitos Humanos da Defensoria Pública do Estado, Sérgio Barreto Morais, participou do Coquetel de Lançamento da 17ª Parada LGBT de Sergipe e do I Encontro Nacional de Homens Trans: Pela Diversidade contra o Conservadorismo. O evento – realizado pela Astra Direitos Humanos e Cidadania LGBT – aconteceu na quinta-feira, 1º, na sede do Sindipetro.

 

Segundo o membro da Astra e coordenador do Núcleo de Homens Trans da Rede Trans Brasil, Cauã Cintra, o evento busca quebrar os tabus entre a população trans. “Realizamos todos os anos workshops regionais e nacionais e percebemos que a população de homens trans fica tímida ao discutir assuntos relacionados à saúde, vontade de engravidar, entre outros, por isso, realizamos esse primeiro encontro nacional para acabar com esse tabu”, disse.

 

“São meninos e meninas adolescentes que se descobrem enquanto trans com 15 a 16 anos e que sofrem uma violência psicológica muito grande que é a aceitação ou não dos pais, o preconceito dos amigos, se vão conseguir continuar na faculdade, enfim, a pressão é grande, por isso, eles se fecham. Esses eventos os deixam mais a vontade para expressarem o que sentem e o que querem”, pontuou Cauã Cintra.

 

Um dos temas debatidos durante o I Encontro foi o uso de banheiros por pessoas trans e a implantação de um laboratório trans em Aracaju.

 

O defensor público, Sérgio Barreto Morais, disse que a Defensoria Pública estuda a possibilidade de ingressar com Ação Civil Pública para implantação de um laboratório trans que atenda todo o Estado. “Estamos em contato com a Prefeitura Municipal de Aracaju para que seja implantado um Laboratório Trans na Capital. A população trans tem que ter um tratamento de saúde diferenciado em virtude do grande preconceito que sofre ao se dirigir a uma unidade de saúde”, disse.

 

Participaram também do evento o defensor público, Elber Batalha; a coordenadora de Direitos Humanos da Secretaria Municipal de Inclusão Social, Lídia Anjos; o coordenador de Igualdade Racial, Paulo Victor Melo e a ex-presdiente do Síntese, Angela Melo.

 

Por Débora Matos 

Expresso Livre

?
image6618