Representantes de Órgãos destacam importância do Mutirão da Saúde da Defensoria Pública

8 de abril de 2017

Representantes de Órgãos destacam importância do Mutirão da Saúde da Defensoria Pública

 

O presidente da Fundat, Roberto Dantas; gerente da Fundat Porto D´Antas, Ricardo Luiz e a defensora pública, Isabelle Peixoto

O Mutirão da Saúde, realizado na sexta-feira, 7, pelo Núcleo de Saúde da Defensoria Pública do Estado de Sergipe, através do projeto “Defensor Público na sua Comunidade”, foi destacado pelo presidente da Fundação Municipal de Formação para o Trabalho (Fundat), Luiz Roberto Dantas; pelo secretário Municipal da Saúde, André Sotero e pelo médico coordenador do Programa DST/AIDS da Secretaria de Estado da Saúde, Almir Santana.  

 

O secretário Municipal de Saúde, André Sotero, disse que ações como o mutirão ajudam a fortalecer a saúde no município. “São atividades extremamente positivas porque envolvem diversos órgãos que se unem em prol de um objetivo comum, que é o de atender as necessidades da população. Além disso, essa foi também uma oportunidade de mostrar que a saúde não se resume a uma consulta médica. Saúde é também bem-estar físico, mental e social”, pontuou.

 

O Defensor Geral, Jesus Jairo Lacerda; o médico Almir Santana e o defensor público, Saulo Lamartine

Para o presidente da Fundat, Luiz Roberto Dantas, o evento reforça o desejo da Fundação em continuar unindo forças com as instituições que também desenvolvem um trabalho voltado a oferecer benefícios à população. “Queremos continuar estreitando os laços com a Defensoria Pública e outros órgãos engajados em atuar pelo povo aracajuano”, ressalta.

 

O médico coordenador do programa DST/AIDS da Secretaria de Estado da Saúde, Almir Santana, parabenizou a Defensoria Pública por incluir no Mutirão o tema DST/AIDS. “Precisamos desse momento que a população está presente. Devemos trabalhar indo até a população e não esperar que ela venha até você. Uma ação como essa da Defensoria Pública chegando à comunidade tem um papel extraordinário. Para nós é a questão do teste dessas doenças, que lutamos para o diagnóstico precoce. Quanto mais cedo descobrirmos, mais cedo começamos a tratar e melhorar a qualidade de vida do portador”, enfatizou.

 

Por Débora Matos c/ informações da PMA

Expresso Livre

?
e-doc

Tamanho da Fonte