Defensor Público Alfredo Nikolaus é homenageado com alta comenda da Assembleia Legislativa

12 de dezembro de 2018

Defensor Público Alfredo Nikolaus é homenageado com alta comenda da Assembleia Legislativa

 

Medalha de Direitos Humanos Dom José Vicente Távora simboliza o reconhecimento pelo trabalho e esforço na promoção e defesa dos direitos humanos no Estado

 

Defensor Público Alfredo Nikolaus recebe a outorga da deputada estadual Ana Lula (PT)

Escolhido pelo compromisso e luta em defesa das causas populares, principalmente nas questões sociais de Direito à Moradia e à Terra, o defensor público diretor do Núcleo de Bairros da Defensoria Pública do Estado de Sergipe, Alfredo Carlos Nikolaus, foi homenageado com uma das mais altas comendas do Poder Legislativo, a Medalha de Direitos Humanos Dom José Vicente Távora, em solenidade realizada na terça-feira, 11, no Plenário da Assembleia Legislativa. A indicação foi da deputada estadual, Ana Lula (PT). 

 

Feliz pelo reconhecimento, o homenageado agradece a outorga. “É uma honra receber essa homenagem quando completamos 70 anos de Declaração Universal dos Direitos Humanos. Agradeço à Assembleia pela indicação e a todos os deputados estaduais pelo reconhecimento do meu trabalho, em especial a deputada Ana Lula”, cita Alfredo Nikolaus.

 

Em seu discurso bastante emocionado, Alfredo Nikolaus fala da atuação à frente do Núcleo de Bairros da Defensoria Pública e da importância da proteção dos direitos humanos e da moradia digna para as pessoas mais vulneráveis. “Tenho plena convicção e certeza de que sou apenas o instrumento de transformação social das pessoas mais vulneráveis, dos movimentos sociais e dos assistidos da Defensoria Pública, que são os merecedores desta honraria. O trabalho na proteção dos Direitos Humanos e à moradia digna tem sido feito com muito sacrifício, lutas contra pessoas poderosas, preconceitos e famílias que não possuem acesso ao mínimo assistencial sejam nos finais de semana, feriados e muitas vezes nas madrugadas”, disse.

 

O homenageado com a família

“Todas as ações só deram certo graças à ajuda dos Movimentos Sociais, que são os instrumentos fundamentais para a concretização do direito dos mais vulneráveis e, também, dos colegas defensores públicos que atuaram em todas essas demandas, em especial o ex-coordenador do Núcleo de Direitos Humanos, Miguel Cerqueira e o atual diretor Sérgio Barreto, que foram fundamentais durante todos esses anos na concretização dos direitos das pessoas que mais precisam, que são os vulneráveis”, reconheceu Nikolaus.

 

O membro da Defensoria Pública não admite discurso de ódio em relação a alguns seguimentos da sociedade. “Ao invés de permitir discursos de ódio, vamos clamar a sociedade e instituições para agir dentro da legalidade em defesa de grupos que possam sofrer com atos preconceituosos por parte do poder público ou entidades privadas. Falar de direitos humanos é falar de amor, inclusão, respeito, dignidade e compreensão”, completou o homenageado.

 

 

De acordo com a deputada Ana Lula, o homenageado é uma pessoa que tem clareza sobre necessidades dos direitos fundamentais da pessoa humana – que é um princípio constitucional. “Dr. Alfredo é uma pessoa que, ao longo da vida, tem demostrado compromisso com a causa social. Via de regra ele sai do ar condicionado de seu gabinete e cai em campo para estar em contato direto com a realidade da população, que é o foco do seu trabalho como Defensor Público. Tem senso de justiça e sua atuação profissional é comprometida com aqueles que têm seus direitos negados e ficam às margens das políticas e da própria sociedade”, pontuou.  

 

Com o defensor público e presidente da Adpese, Herick Argolo

Quem é o Defensor Público: Natural de Belém, Estado do Pará, Alfredo Carlos Nikolaus é bacharel em Direito pela Universidade Gama Filho do Rio de Janeiro e há 12 anos ingressou, via concurso público, na Defensoria Pública do Estado de Sergipe. Atuou nas Comarcas de Nossa Senhora da Glória, Riachuelo, São Cristóvão e atualmente é titular da Defensoria Pública de Família e Sucessões, da Infância e da Juventude na Comarca de Nossa Senhora do Socorro. É diretor do Núcleo de Articulação e Movimentos de Bairros da Defensoria Pública há mais de seis anos.  

 

Honraria: A medalha faz menção a Dom José Vicente Távora por seu trabalho desenvolvido dentro e fora do Brasil. Dom Távola nasceu em 19 de julho de 1910, foi Arcebispo da Arquidiocese de Aracaju de 1960 a 1970. Aos 24 anos, foi ordenado sacerdote em Limoeiro, onde permaneceu até 1954. Foi bispo auxiliar no Rio de Janeiro e, em 1957, já bispo, foi enviado a Aracaju para substituir Dom Fernando Gomes dos Santos. Faleceu em 3 de abril de 1970.  Dom Távora foi um marco pela luta e igualdade social no Brasil. Enquanto Bispo e Arcebispo, deixou grandes marcas na Reforma Agrária e na Educação. Dom Távora criou ainda  a Rádio Cultura.

 

Homenageados: Também receberam a Medalha de Direitos Humanos Dom José Vicente Távora mais sete personalidades: a professora-doutora, Andréa Depieri de Albuquerque; a camponesa Josefa dos Santos; a assistente social, Lídia Carla Araújo dos Anjos; a camponesa Maria Faraildes Alves Dantas; a militante social, Vera Núbia Santana Vilar; o padre Isaías Nascimento Filho e o advogado José Robson Santos de Barros.

 

A mesa da solenidade foi composta pela vice-governadora eleita e atual vice-prefeita de Aracaju, Eliane Aquino; pelo presidente da Associação dos Defensores Públicos do Estado de Sergipe (ADPESE), Herick Argôlo; superintendente da Secretaria de Estado da Mulher, Inclusão Assistência Social, do Trabalho e dos Direitos Humanos, Roseli Andrade; pelo representante da Coordenadoria da Infância do Tribunal de Justiça de Sergipe, Heleno Nabuco; pelo diretor tesoureiro da OAB, Sandro Mezarano; pela professora Ângela Melo, membro da Executiva Nacional da CUT e pela procuradora do Ministério Público do Estado, Maria Conceição Figueiredo.

 

Por Débora Matos com informações da ALESE – Fotos: Jadilson Simões

 

 

Expresso Livre

?
image6618